SISTEMA IMUNOLÓGICO

tabela foods

Foi apenas nas últimas três ou quatro décadas que a investigação sobre o funcionamento do sistema imunológico realmente decolou. Antes disso, o sistema imunológico não era de tudo ignorado pela comunidade médica estabelecida mas servia simplesmente como um indicador de um estado de saúde.

Faziam-se testes de ” contagem de glóbulos brancos “. A contagem de glóbulos brancos elevada dizia que o seu corpo estava lutando contra uma infecção. Além disso, ele praticamente não era apenas ignorado, mas também abusado, especialmente considerando certos procedimentos médicos e inumeráveis tratamentos com medicamentos que suprimiam e dizimavam o sistema imunológico.

Uma alta contagem branca não é mais apenas uma indicação de uma infecção, é também uma medida de tensão. Nosso sistema imunológico possui um mecanismo incrível.

Nos anos cinquenta, tonsilectomias (remoção de amígdalas) eram um procedimento padrão. As amígdalas que deviam ser umas das primeiras linhas de defesa contra a doença eram facilmente eliminadas quando elas são a sua única defesa contra o vírus da poliomielite.

Nos anos noventa, a comunidade médica começou a admitir, embora não muito vigorosamente, que a epidemia de poliomielite dos anos cinquenta era ‘ iatrogênica ‘ (causada pela intervenção médica).

Um outro procedimento médico responsável pela supressão do sistema imunológico ainda é a apendicectomia (remoção do apêndice).

Você sabia que o apêndice faz parte do seu sistema imunológico? Você sabia que existem maneiras naturais de evitar um ataque de apendicite? Você sabia que um ataque de apendicite é realmente um aviso de que algo muito ruim em seu organismo está acontecendo?

Removendo as amígdalas inflamadas ou um apêndice inflamado é equivalente a jogar fora o seu detector de incêncio quando ele toca e faz muito barulho. Os Imunologistas nos dizem que as amígdalas não devem ser removidas sob quaisquer circunstâncias, no entanto, a cada ano mais de um milhão de remoção de amígdalas (tonsilectomias) são realizadas nos Estados Unidos, e em alguns estados americanos, a remoção do apêndice é exigida por lei se o abdômen tiver que ser operado.

Felizmente nossos corpos sabem mais do que os médicos e em 20% das vezes eles realmente voltam a crescer (amígdalas e apêndices), mesmo depois de terem sido removidos.

Todas as cirurgias deprimem o sistema imunitário. A maior causa de morte na sequência de uma cirurgia bem sucedida é uma infecção secundária ou nosocomial (adquiridas como resultado da permanência hospitalar). Com um sistema imunitário deprimido, as infecções hospitalares são mortais.
Antibióticos também deprimem o sistema imunológico e esgotam as “boas” bactérias (probióticos) necessárias para a limpeza das toxinas do seu sistema.

Os corticosteróides, hormônios que são naturalmente criados no corpo, têm sido, há mais de 50 anos receitados abundantemente por causa de suas propriedades anti-inflamatórias (apesar de seus inúmeros efeitos colaterais). Mesmo contra a vontade de muitos, estas drogas encontram-se disponíveis e seu uso é amplamente disseminado. Tal como acontece com a maioria das terapias hormonais, o uso de corticosteróides é uma faca de dois gumes pois eles suprimem a resposta inflamatória inicial (lesão ou doença), e suprimem o sistema imunológico.

Nosso objetivo aqui é dar a você um pequeno conhecimento dos princípios básicos para viabilizar seu organismo a combater uma infecção seja através dos supressores, triggers, impulsionadores ou moduladores.

Uma das razões que segurou a ciência tanto tempo para obter um controle sobre o sistema imunológico é que as suas peças e suas interconectividades não são facilmente perceptíveis. Nós temos o sistema digestório, sistema circulatório, sistema nervoso, sistema respiratório e outros. Estes sistemas são facilmente descritos, porque eles estão fisicamente conectados. O sistema imunológico, por outro lado, consiste de, aparentemente, partes e pedaços independentes, e muito do que está ligando o conjunto todo é simplesmente molecular.

O sistema imunológico é ação e reação. Ele tem uma inteligência própria, embora primitivo, trabalhando como um ratinho dentro de uma caixa (Skinner): o produto de estímulo e resposta. Por exemplo, se uma peça microscópica de um organismo desconhecido entra na corrente sanguínea, quer através da doença ou por uma lesão, o sistema imunitário responde como se fosse um corpo estranho, e tendo feito uma sinalização especial, o sistema imunitário é agora treinado para atacar e eliminar o invasor. Existem circunstâncias mutagênicas ( onde a substância estranha ou organismo invasor ataca os gens de um determinado órgão, por exemplo, a bainha de mielina em casos de Esclerose Múltipla, doença auto-imune). Diante desta ‘metilação’, as células T supressoras terão que parar com o ‘ataque’ ao DNA da bainha de Mielina removendo os gens que sofreram a metilação pela substância estranha muito tóxica. Neste caso teremos o início de uma resposta auto-imune (onde o sistema imunológico ataca a si próprio com a intenção de eliminar os gens metilados e repôr a sequência original do DNA).

Sendo a substância que ataca o DNA um produto ‘volátil’, ele rapidamente evapora tornando difícil a sua identificação. Estes fatos ainda dormem dentro da atual prática da medicina, devido a supressão de informações sobre estudos e pesquisas de uma lista de determinados agentes que estão presentes nos hábitos da vida moderna, principalmente no que tange aos alimentos processados, doces, cigarro, acidez de bebidas populares como refrigerantes, sucos industrializados, etc.

Doenças auto-imunes em 99% dos casos, deve-se a intoxicação, ou por alimentação contaminada, ou por ingestão de alguma bebida (pode ser até a própria água fluoretada), ingestão de remédios inapropriados, por inalação de fumaça e gases bem como outros resíduos poluentes tóxicos.

Ao se referir às partes físicas do sistema imunológico, chamamos estas peças de sistema linfático, apesar que todo o sistema imunológico, em nível molecular, vai muito mais longe, até mesmo no mais minúsculo nível celular em nossos corpos, pode-se criar produtos químicos para ajudar na defesa de todo o sistema.

O sistema linfático consiste em duas partes, os órgãos primários e secundários.

Principais órgãos: glândula timo (localizada abaixo do osso do peito e funcionando em seu pico durante a adolescência) e da medula óssea (produção de linfócitos-T-células especializadas e de células B bem como despachá-las através dos vasos linfáticos para os órgãos secundários.

Órgãos secundários: os gânglios linfáticos, o baço, amígdalas, placas de Peyer no intestino delgado, fígado, e o apêndice para citar alguns. Estes são os locais onde as peças moleculares do sistema imunológico se reúnem em prontidão para a batalha com germes, vírus e alérgenos (que causam reações alérgicas).

A glândula timo é o órgão central no desenvolvimento do poder imunológico. Dentro de seu córtex, os linfócitos da medula óssea amadurecem em células-T ajudadas pela timosina, um hormônio secretado pela glândula timo.

O principal trabalho da medula óssea é a produção de células do sangue, tanto vermelhas como brancas (leucócitos e linfócitos). É o tecido macio localizado nas cavidades dos ossos. Ele é a fonte das células estaminais que se diferenciam (mudam) em leucócitos e linfócitos.

Para resumir: a medula óssea cria as células estaminais que se tornam as células do sistema imunitário. A partir do osso da medula, linfócitos são enviados para a glândula timo para amadurecer e, em seguida, são armazenados nos órgãos secundários do sistema linfático e na corrente sanguínea. A medula óssea também envia leucócitos de sentinela na corrente sanguínea. Tudo está em um estado de “pronto combate”.

Agora vamos olhar para os componentes celulares do sistema. Existem dois grandes tipos de célula no sistema imunitário: fagócitos e linfócitos. Como você pode imaginar, os linfócitos têm algo a ver com o sistema linfático. Eles são células brancas pequenas encontradas em tecidos linfóides secundários (os órgãos do sistema linfático) e também presente no sangue.

Eles chegam à corrente sanguínea através dos gânglios linfáticos que são órgãos de pequeno porte (parecidos com ervilhas) distribuídos por todo o corpo. O linfonodos atacam os antígenos (substâncias que provocam uma resposta imune) e filtra-os para fora do fluido linfático. O fluido linfático é na verdade fluídos dos tecidos que foram recolhidos por todo o corpo para serem lipos e, em seguida, são devolvidos para a corrente sanguínea através dos vasos linfáticos.

Linfócitos

Existem dois tipos de linfócitos: as células T e células-B.

As células T são como reguladores mestre do sistema imunitário. Existem três tipos principais de células T: Células T auxiliadoras (sua contagem identifica-se como CD4), células T supressoras (a sua contagem identifica-se como CD8), e as células T efetoras (por vezes referidas como natural killer, ou células NK). As células B têm um tempo de vida relativamente curto em comparação com as células-T.

Conforme as células B se tornam maduras, elas se transformam em células do plasma produtoras de anticorpos encontrados nos gânglios linfáticos e no baço. Uma vez que as células B criam um anticorpo específico para atacar um patógeno específico, sua inteligência primitiva se lembrará desta informação e saberá que mais tarde elas deverão perseguir e atacar o mesmo patógeno. Isto é chamado de “construção de resistência.”

Deve-se observar que os aminoácidos contendo enxofre são estritamente necessários em sua dieta para a formação de anticorpos. Estes são: cisteína, metionina, homocisteína e taurina. Cisteína é encontrado em uma variedade de alimentos, incluindo aves, iogurte, gema de ovo, pimentão vermelho, alho, cebola, brócolis, couve de Bruxelas, aveia e gérmen de trigo. A taurina é encontrada em ovos, peixes, carne e leite. A taurina também é encontrada em alguns alimentos vegetais como algas, mas presentes em níveis mais baixos. É altamente presente em alimentos do mar, como mariscos, lula, polvo, e ostra. A metionina é encontrado em produtos de origem animal, e é importante para controlar os níveis de gordura no fígado e artérias. Alimentos vegetais que contêm metionina são os feijões, sementes, cebola, amendoim, lentilha e alguns grãos.

Ironicamente, o nível de homocisteína encontrado hoje em dia está demasiado elevado o que resulta em doenças cardiovascular. A homocisteína é formada pela quebra de metionina. Precisamos de uma bom Complexo de Vitamina B para reduzir esses níveis associado com a betaína e a colina em conjunto.

Altos níveis de homocisteína estão também associados com a depressão. Você pode diminuir seus níveis de homocisteína com uma boa quantidade de vitaminas do Complexo B que ajudará a melhorar a depressão.

Atividade celular NK  –  (Natural Killer)

Vamos agora dar uma olhada nas atividades das Células NK, pois este é o primeiro critério que determinará a força e a saúde global do seu sistema imunológico. As células NK não são como as células brancas do sangue, medidas pelo seu número, pois o seu número permanece constante, cerca de 15% do número de seus glóbulos brancos. As células NK constituem a primeira linha de defesa para lidar com qualquer invasão em seu corpo, uma vez que os invasores passaram pelas sentinelas em suas membranas mucosas e as amígdalas. Cada célula NK contém vários pequenos grânulos que atuam como cargas explosivas: quando uma célula cancerosa é reconhecido, a célula NK se liga à célula do câncer e injeta esses grânulos para dentro da célula as quais explodem, destruindo desta forma a célula do câncer em cinco minutos. A célula NK então se move para outro invasor. Sabe-se que células NK saudáveis atacam dois ou mais invasores (células infectadas) ao mesmo tempo.

Aceita-se agora que os indivíduos com baixa atividade de células NK são mais suscetíveis à fadiga crônica, doenças auto-imunes, tumores cancerosos e infecções virais.
Há um teste para determinar a atividade das células NK-chamado de ensaio de liberação do Cromo 51. Se você está lidando com algum distúrbio encionado acima, este teste pode ser de alguma ajuda.

As células T

As células T auxiliadoras (ajudantes) estimulam a produção de células-B e aumentam a produção de mais células ajudantes e células efetoras (células assassinas NK). As células T supressoras agem para diminuir a atividade das células T auxiliadoras, pois quando a batalha termina, nós não queremos que o sistema imunológico continue lutando.

Normalmente existem cerca de duas vezes mais células T auxiliadoras do que células T supressoras. Em doenças de imunodeficiência, como Aids, muitas vezes você vai ouvir sobre a contagem de CD4 cair abaixo da contagem de CD8. O que eles estão falando é que a razão entre as auxiliadoras e as / supressoras está fora de sintonia. Quando isso ocorre, o corpo está pré-disposto à uma “infecção oportunista”.

Uma vez que mencionamos anticorpos, vamos discutí-los aqui (vamos voltar brevemente aos fagócitos). Os anticorpos são moléculas de proteínas (chamadas imunoglobulinas-Ig) produzidas pelas células-B. Existem cinco classes de anticorpos: IgA, IgD, IgE, IgG, e IgM.
IgA e IgE são referidos como anticorpos de secreção, porque eles são encontrados em nossas secreções. IgA é encontrado em abundância na saliva e nas membranas das mucosas dos pulmões, paredes intestinais e genitais. É a primeira linha de defesa contra as bactérias invasoras.
Estudos de laboratório mostram aumentos na produção de IgA em pessoas de bom astral, divertirdas, que fazem exercícios. Portanto, rir é o melhor remédio.

IgE é a nossa primeira defesa contra alergias e parasitas. Pensa-se que mais de meio milhão de moléculas de IgE podem ligar-se a uma única célula mastócita. Os mastócitos atuam como sentinelas. Eles desencadeiam uma resposta rápida a uma invasão de alérgenos e parasitas, e é a imunoglobulina E que desencadeia a liberação de histamina. Histamínicos aumentam a resposta imune e também o fluxo sanguíneo. Tomar um anti-histamínico reduz os sintomas, mas permite que o mal-estar fique fora de contrôle. Uma das melhores maneiras de aliviar as pressões provocadas pela produção de histamina (seja nos pulmões durante um ataque de asma ou sinusite) é aumentar o consumo de água pura à temperatura ambiente.

Anticorpos não destroem o inimigo sózinhos, mas eles chamam seus coplementos. Os anticorpos são de forma Y e viajam através da corrente sanguínea procurando bactérias invasoras, vírus e micróbios. Quando um invasor é descoberto, o anticorpo agarra-o com um dos ramos superiores de seu Y e chama os seus complementos.

Complementos, C1 a C9, são proteínas do sangue complexas que contêm carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Quando chamado, eles se alinham, C1 a C9, e atacam de uma forma linear, um de cada vez, e quando todos os oito estão no lugar, eles perfuram o revestimento do inimigo fazendo o interior derramar para fora e, em seguida, sinalizam os macrófagos e neutrófilos para virem limpar a bagunça. Os complementos têm a capacidade de se ligar à células B e à certas imunoglobulinas.

Fagócitos

Os Fagócitos (leucócitos) são o segundo tipo de células do sistema imunitário; os linfócitos são outro. Eles ingerem outras células, micróbios e partículas estranhas em um processo de fagocitose (uma capacidade de apenas alguns tipos de fagócitos). Eles se movem como pequenas amebas através da corrente sanguínea para o local de uma lesão onde deverão destruir o invasor, ou produzir anticorpos que possam fazê-lo. (Note que os fagócitos não pode destruir vírus).

Existem quatro grandes passos na fagocitose:

1. Quimiotaxia:é a capacidade de ser atraídos para um alvo e a capacidade de chegar lá (motilidade). A vitamina C aumenta a motilidade, mas os níveis de zinco em excesso podem suprimi-la.

2. Opsonização: é a capacidade de aderir ao seu alvo.

3. Imersão: é a capacidade do fagócito ingerir o seu alvo.

4. Capacidade Cidal: é a capacidade de destruir o alvo.

Em alguns casos, tais como o excesso de colonização por Candida albicans (levedura), fagócitos podem executar as três primeiras etapas, mas não podem executar a última (destruir seu alvo).

A destruição real de um fagócito é realizada pela liberação de radicais livres pelo fagócito (aquelas coisas que nos envelhecem e que lutamos com antioxidantes), tais como peróxido de hidrogênio e ânion superóxido. Curiosamente, o fagócito deve conter antioxidantes suficientes para proteger-se contra a liberação de radicais livres, ou a cada ataque será um ataque Kamikaze. Os fagócitos armazenam os antioxidantes, vitamina C e o aminoácido glutationa como proteção, apesar de já ter sido descoberto que, em algumas situações, quantidades excessivas de vitamina C podem dificultar sua capacidade cidal (uma vez que os radicais livres libertados para destruir um agente patogénico são rapidamente limpos antes deles fazerem o seu trabalho). Assim, esta pequena célula deve regular a sua própria geração de antioxidantes e radicais livres para lhe permitir fazer o seu trabalho e sobreviver à batalha.

Existem muitos tipos de fagócitos, divididos em dois grupos: as células mielóides (granulócitos) e monócitos. Os granulócitos são células preenchidas com grânulos de produtos químicos tóxicos que digerem os invasores. Exemplos de granulócitos são basófilos, neutrófilos, eosinófilos e mastócitos. Os monócitos são fagócitos de vida curta que se tornam vários macrófagos encontrados por todo o corpo cuja tarefa é limpar os resíduos produzidos pelo sistema imunológico, bem como destruir os patógenos (substâncias causadoras da doença).

Macrófagos (literalmente “grandes comedores”, em latim), acabam por morrer (depois de comer o seu preenchimento) e produzindo muco e pús que encontramos como resultado de uma infecção.

Quando você estiver congestionado, com tosse e catarro, por causa de um resfriado, estes sintomas do resfriado (tosse) são o resultado de seu sistema imunológico lutando contra o vírus do resfriado (catarro são células imunes mortas).

Deve notar-se  que os macrófagos requerem o aminoácido L-arginina para criar o óxido nítrico que utilizam para destruir as bactérias, vírus e células cancerosas. (Tumores protegem-se através da produção da arginase, uma enzima que quebra a L-arginina; portanto, ao lutar contra um câncer, uma dieta com L-arginina, de acôrdo com estudos na Inglaterra, parece ser útil).

Foi descoberto que todas as células possuem receptores, um ponto onde os produtos químicos podem ligar-se às células. Pesquisadores de Harvard descobriram que as nossas células do sistema imunológico têm receptores de neuropeptídeos. Neuropeptídeos são as substâncias químicas liberadas pelo cérebro quando nos sentimos bem (sensação de ser querido) e quando nos sentimos mal (sensação de raiva e frustração). A conclusão é muito simples: o nosso sistema imunológico está ouvindo e é afetado por nosso diálogo emocional. Lembre-se disso!!!

Agora, se você chegou a pensar que você aprendeu tudo o que há para saber sobre o sistema imunológico, você esqueceu nosso prenúncio no início deste artigo: cada célula do seu corpo participa no sistema imunológico em algum nível.

Interferons, que é produzido durante infecções virais, têm sido apontados como a cura do câncer do século. No entanto, os testes mostram que às vezes funcionam como uma poção mágica, e às vezes não funcionam. E os efeitos colaterais, às vezes, podem prejudicar.

Interferon é agora sintetizado em laboratórios e vendido a um custo elevado, mas você sabia que qualquer célula infectada por vírus pode criá-lo?

Existem muitos tipos de interferons, e o seu nome deriva da sua função: a capacidade para interferir com infecções virais. Quando uma célula é atacada por um vírus, embora não possa salvar-se, ela pode criar um interferon que irá alertar outras células de uma infecção iminente. Tendo sido avisadas, as células não infectadas armam-se com substâncias antivirais que impedem a replicação do vírus (se reproduzindo) nas células não infectadas.

Interleucinas são hormônios que levam mensagens entre as células do sistema imunológico para orquestrar toda a batalha. Uma interleucina atrai células T aos seus alvos e alerta-as para criar interferon (se necessário) e ainda criam uma outra interleucina para atrair as células T auxiliadoras e assim colocar o sistema imunológico em alta velocidade e chamar as NK (células assassinas naturais) e estimular as células B para produzir anticorpos. Interleucinas têm sido amplamente utilizadas em terapias contra o câncer, embora não de forma muito eficaz, e se os efeitos colaterais não matá-lo, os custos podem conseguir.

Mas você sabia que existe uma maneira de criar milhões de interleucinas naturalmente? Seu corpo cria esses produtos químicos maravilhosos sempre que você fizer algo que o excitar, cativá-lo, contentá-lo. Se e ir à Disneyland é algo que profundamente te excita, um passeio até lá pode valer milhões. Passeios à cavalo, carros de corrida, assistir a um belo pôr do sol: a chave para um sistema imunológico fortalecido é a mesma chave que você aciona quando se diverte, portanto viva com mais motivado.

O interferon e a interleucina são classificados como linfocinas, a substância (hormônio) que as células infectadas e as células T criam para estimular outras células do sistema imunológico. Estudos têm mostrado que os interferons e interleucinas naturais são extremamente eficazes e não têm efeitos secundários; em oposição àqueles que a ciência médica introduz para combater a doença, e isso tem deixado a comunidade médica perplexa. Pode levar anos para desatar este nó.

Outra descoberta recente é o FNT, ou Factor de Necrose Tumoral, de uma substância química produzida pelos macrófagos na destruição de tumores. Em pacientes com câncer, este pode ser um bom, mas os estudos mostraram que, durante um longo período de tempo, níveis elevados de FNT podem levar a perda de massa e, eventualmente a morte. Isto, de acordo com algumas pesquisas recentemente descobertas, é uma das causas da síndrome de definhação em pessoas com AIDS. FNT tem sido sintetizado em laboratório, e já estão sendo realizados testes para novas terapias FNT para o câncer.

Finalmente, devemos mencionar a hibridoma, uma célula híbrida criada quando um linfócito funde-se a uma célula cancerosa e segrega ou uma linfoquina ou um anticorpo específico para apenas um antígeno. Os hibridomas estão atualmente sendo estudados em laboratórios que utilizam ensaios com células tronco, um processo onde uma biópsia do tecido canceroso é clonado e testado. Uma vez que se descobre qual anticorpo o sistema imunitário do próprio paciente quer criar para lutar contra o câncer, o mesmo anticorpo pode ser injetado em doses elevadas no paciente para favorecê-lo na cura. Testes, por enquanto, ainda estão em andamento.

O verdadeiro funcionamento do sistema imunológico ainda não é totalmente conhecido. Esta foi apenas uma introdução. Nossos cientistas chineses já descobriram os meridianos de carga positiva e negativa do corpo humano; isto foi há mais de seis mil anos atrás, sem uso de alta tecnologia, eles vem promovendo um melhor equilíbrio, tratamentos naturais e curas para centenas de quadros relacionados ao sistema imunológico com o simples conhecimento de pontos energéticos distribuídos pelo corpo. Vale a pena entender e aplicar a acupuntura.

A maioria dos carcinomas, do ponto de vista da comunidade médica, é como uma doença local, específica. No entanto, por causa de uma mudança de paradigma (provocada por colidir com a comunidade médica holística), muitos reconhecem agora que o câncer não é uma doença, mas sim que é apenas um sintoma de uma doença; um sintoma ultrajante mas, mesmo assim, apenas um sintoma. A medicina convencional ama tratar os sintomas. Porém hoje, naturopatas vêm incentivando seus pacientes à aprenderem a tratar a causa da doença, porque a cura está em eliminar a causa e não ficar adepto à uma medicação para se livrar dos sintomas para o resto da vida. Doenças auto-imunes ocorrem quando o sistema imunológico encontra-se disfuncional, muito ácido e sobrecarregado.

Para viver uma vida saudável e livre de doenças, coma mais alimentos orgânicos sempre que possível, evite intoxicação por agrotóxicos. Não fume, não beba.

Como pode ser isso? – “Faça de seu alimento o seu remédio e de seu remédio o seu alimento.” (Hipócrates – o pensador, pai da medicina).

Faça um programa de desintoxicação rigorosa, livre-se de sua acidez, torne-se mais alcalino. Obtenha mais informações sobre como você pode desintoxicar seu corpo e reconstruir seu sistema imunológico através de aminoácidos, sais minerais e vitaminas que estão escassos na natureza, portanto também escassos na alimentação nos dias de hoje.

Atualize sua taxa de Vitamina D3 que encontra-se deficitária em mais de 75% da população do globo!!! Faça isso com urgência para evitar sintomas como fadiga e de baixa imunidade.
O uso de suplementação é um recurso para proporcionar ao organismo a reposição de nutrientes e vitaminas que estão em falta. A deficiência de vitamina D3, por exemplo, é uma das mais severas e que pode causar sérios riscos à saúde.

Algumas considerações sobre ovo e frituras :

Os alimentos que contêm ácido araquidônico , tais como ovos, carnes de órgãos (incluindo fígado, coração e vísceras ) , carnes em geral, produtos lácteos em geral, promovem a inflamação . Através de um processo complicado, o corpo quebra o ácido araquidônico em compostos inflamatórios, incluindo as hormonas, prostaglandinas e leucotrienos que controlam mecanismos de inflamação , constrição dos vasos sanguíneos e promovem a coagulação do sangue.
Cozinhado demais alimentos ou alimentos preparados à temperaturas elevadas (incluindo batatas fritas, alimentos assados , frango frito – bolinhos e massas crocantes e alimentos fritos em geral ) incitam a resposta inflamatória , porque eles criam produtos de glicação avançada (AGEs ) , algo que o corpo trata como um invasor.

Evite falsos alimentos industrializados que são inflamatórios e roubam seus nutrientes!!! Beba mais água!!!!!!!!!!

 

 

 

Matéria selecionada, compilada e traduzida por Rama Shakti

 

Referências e leituras adicionais

Clinical Diagnosis in Ayurveda: A Practical Book of Ayurvedic Diagnosis in the Light of Modern Science

Friedlander, Mark P., e Terry Phillips. Vencendo a guerra interna. Emmaus, PA: Rodale Press, Inc., 1986.

Heumer, Richard P. The Roots of Molecular Medicine. Nova Iorque: W. H. Freeman & Company, 1986.
Princípios de Medicina Molecular (Hardcover), por Marschall S. Runge (Editor), Cam Patterson (editor)
Wade, Carlson. Ativadores do Poder Imunológico . West Nyack, Nova York: Parker Publishing Company, 1990.

 

 

 

 

Esta matéria não pretende diagnosticar, tratar ou curar nehuma doença. Seu propósito é unicamente de informação, educação e aprimoramento cultural. Caso você precise de maiores esclarecimentos para administrar o seu problema busque orientação e um parecer de um profissional competente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s